domingo, 29 de novembro de 2009

Galo, I love you!



Entrei aqui para debitar sobre o Grande Galo Universal, desta vez traduzido no facto de Nádia Sophia estar de novo com uma otite e ter ácaros no ouvido interno. A minha gata tem ácaros nos ouvidos...Ca nojo! Nada que uma aplicação de Advocate de 15 em 15 dias não trate, mas dispensavamos a ideia de saber que há bichinhos nojentos a boiar na cera auricular de um animal que passa a vida ao meu colo.



E entretanto parei.

E comecei a pensar em todos os 'galos' que assinalei ao longo deste tempo e todos os 'não galos' ou coisas muito boas que me aconteceram e que guardei só para mim. Seguramente um galo anunciado torna-se mais forte do que um 'não galo' silenciado. É muito mais fácil lembrarmo-nos do stress que passamos quando o radiador do nosso carro morreu ao regressar de um casamento e ficamos parados a 20kms de casa, noite escura, na mais completa solidão. Se calhar lembramo--nos menos da sorte em ter alguém que se levante da cama para nos ir buscar, e que volte no dia seguinte connosco e com um mecânico para ressuscitar a alma.

E se calhar fazemos mal. Fazemos mesmo muito mal.


Se calhar, daqui a uns tempos não me vou lembrar que a Isabel me enviou um sms que dizia apenas 'SIC Radical'. E que quando ligo para a Sic Radical está o Jon Bon Jovi no Tonight Show do Conan O'Brien. Um sms simples, com um nome de uma estação, que não diz nada e que diz tudo. Como é que se mede a intensidade do bom que é saber que alguém nos conhece tão bem e se lembra de nós ao 'zappar' pela TV? E nos arranca um sorriso inesperado num dia que se calhar não nos correu de feição? Ah pois é...



E este é apenas um dos exemplos de coisas muito boas que me acontecem diariamente e que eu não enfatizo como deveria. Acontecem-me merdices inacreditáveis, sim, coisas que não lembram a ninguém, pequenos aborrecimentos ou espectaculares ironias do destino, mas a verdade é que faz parte. 'Shit happens', pronto. Não porque Deus me odeie, como eu também gosto de dizer umas 25 vezes por dia - quase sempre a brincar, porque, no fundo, mesmo na miséria depressiva continuo palhacinha porque é essa a minha essência -, mas porque as pequenas contrariedades também são um tempero da vida. Daquele que se polvilha em pequenas quantidades, só para fazer sobressair o tempero base.

Se eu podia viver sem o meu Galo Universal? Podia. Mas não era a mesma coisa! :)

4 comentários:

  1. Uau, safirita. :)))))) e viva o grande galo, sim senhora. E quem te foi buscar a meio da noite.

    E viva o bon jioviiiiii!! :D

    E viva o conan o'brien!!!

    E viva a safiraaaa! :D

    ResponderEliminar
  2. Tens razão: muitas vezes damos imensa importância a merdelices que nos chateiam, e menos a coisas boas que temos no dia a dia - e não são tão poucas assim!

    Mas lá que é chato que a bicha tenha otite e ácaros no ouvido, também é verdade! As melhoras para ela!

    E beijoca para ti! :)

    ResponderEliminar
  3. Então esquece os pequenos galos e sorri com os galos agradaveis que te acontecem......canta sempre ao iniciar um novo dia e vais ver que afinal há tantos bons galos!!!!

    Beijokitas

    ResponderEliminar