segunda-feira, 8 de março de 2010

Nunca entendi muito bem esta coisa de comemorar os ‘dias de...'. O Dia da Mulher então passa-me completamente ao lado. Tão ao lado que já por duas vezes hoje respondi aos ‘parabéns!’ de colegas com um inocente ‘Obrigada, mas não é hoje, é só amanhã’, pensando que teriam feito confusão com a data do meu aniversário (sem no entanto compreender muito bem como, dado que apregoei a coisa com uma semana de antecedência, e com várias insistências diárias).

O facto de eu também passar a vida a andar de metro mas nunca estar à hora certa ou na estação certa onde estão a dar uma flor às mulheres que vão passando também não ajuda a que eu não me lembre que há um dia da Mulher, e que por acaso é hoje. Na verdade, varreu-se-me de todo. Pronto.

Não tenho nada contra o dia em si, ou as Mulheres e as suas conquistas em geral, mas irrita-me que toda e qualquer mulher seja celebrada. Há grandes cabras por aí. Eu gosto de cabras, mas só das que fazem bééée-béeee enquanto saltitam no pasto. E, não sei... eu cá quando homenageio alguém, gosto de saber que essa pessoa fez alguma coisa de valor. Ter mamocas não constitui um grande feito para mim e, portanto, sou muito pouco permeável a essa mariquice do dia da Mulher. Se fosse feriado ainda via alguma vantagem na celebração. Agora receber um ‘parabéns pelo dia da Mulher’ do senhor que vem entregar as compras do Jumbo online ao escritório não contribui lá muito para a minha felicidade. Mas posso ser eu que sou esquisita...

Eu gostava mesmo era que houvesse um dia Nacional do Atrasado Mental. Isso sim, seria celebrar uma excepção (embora a excepção seja cada vez mais a regra neste país) e um esforço reconhecido. Não é qualquer pessoa que pode ser um Atrasado Mental. São necessárias extraordinárias valias para conseguir reduzir uma massa encefálica à partida normal ao tamanho de uma avelã seca, e conjugar uma inteligência equiparável à de uma ameba num dia mau com os modos sociais de um javali do monte. É preciso ser-se muito bom para perder toda e qualquer noção de civismo, cortesia e interacção social. É dura a vida do Atrasado Mental.
Portanto, eu acho que nesse dia, sim! Devíamos todos dar azo à nossa vontade de recompensar o esforço do Atrasado Mental e torná-lo inesquecível para todo o feliz homenageado que se nos atravessasse no caminho. Se nesse dia o uso da força excessiva para infligir ofensa corporal grave e intencional não fosse penalizada, garantidamente eu seria a primeira de marreta na mão, à coca de um Atrasado Mental que ainda estivesse de pé. Ou que, já deitado, ainda mexesse, que bater em mortos não tem graça nenhuma porque a circulação sanguínea pára, o sangue já não jorra e a vítima já não estrebucha sequer. Um desperdício de energia, portanto.

Esse seria um dia interessante de celebrar, e que traria diversão às massas. A mim, especialmente, que convivo com vários diariamente e encontro novos todos os dias. Agora o dia da Mulher...pfffffff, big deal!

Apesar de tudo, a todas as Mulheres que (ainda) passam por aqui (e que assim se destacam pelo seu apurado bom gosto) desejo um dia em grande!
Banda Sonora: You make me feel like a Natural Woman - Aretha Franklin

5 comentários:

  1. Ó minha cara!
    Mas para quê um "Dia internacional do Atrasado Mental?" Não creio que me agradasse por aí além que as pessoas me andassem a dar os parabéns só porque se cruzavam comigo na rua! Até porque há por aí muitos atrasados mentais que são uns autênticos "#$%#$, que não merecem que se comemore nada por eles. Ainda se fossem atrasados mentais com mérito e distinção...

    ResponderEliminar
  2. E eu? Então e eu?
    Isso não se faz!
    Vamos celebrar o dia do anormal!
    Eu quero festas! Festas, festas!

    ResponderEliminar
  3. Eu só vinha aqui oferecer uma flor... lol
    beijinhos*
    ~universosquestionáveis~

    ResponderEliminar
  4. Eheheh, eu agradeço sempre quando me parabenizam no dia Internacional da Mulher! Embora, tal como tu, não ache grande piada aos "dias de..." que são de tudo e qualquer coisinha! Mesmo assim o da Mulher até é dos menos maus, se comparado com o dia do meteorologista, do folclore ou do deita-os-papéis-para-o-lixo-e-não-para-o-chão-qué-uma-grande-porcaria!

    Bom, mas falaste em dia Nacional do Atrasado Mental, lá vieram aí uns meninos dar um ar da sua graça... Ou meninas, que nessas coisas há para todos os géneros! Devem estar a aguardar com impaciência a tal marretada na tola... :)))

    Mas passei para te desejar um dia de aniversário muito feliz, junto com todos os teus, com alegria, saúde e paz!

    PARABÉNS, Safira!

    Uma grande beijoca e sê feliz!

    ResponderEliminar
  5. convite para seguir a história de Alice, lá no
    --- continuando assim... ---

    vai do capítulo 4 , e ainda há tanto para contar ;)

    bj
    teresa

    ResponderEliminar