segunda-feira, 28 de setembro de 2009

A arte de dizer ‘não’


Após anos a fio a engolir sapos e a dizer ‘claro, não me importo nada’ quando na verdade me importo - e bastante -, é com grato prazer que informo que se acabou a mama. ‘Não’ tornou-se a minha palavra preferida. Libertei-me. Dei o grito do Ipiranga. Pronto.

ANTES
Amiga/o: queres vir comigo n sei onde, (porque não me dá jeito ir sozinha/o)?
Eu (pensando, damn it, não, não quero, quero acabar o meu livro): euh...claro, vamos.

AGORA
Amigo/a: queres vir comigo n sei onde, (porque não me dá jeito ir sozinha/o)?
Eu: Não, obrigada. Quero mesmo acabar o meu livro.

Ou, a minha situação recorrente preferida:

ANTES
Amiga/o
: estava a pensar ir passar uma semana a tua casa ( mesmo que não estejas lá e que os teus gatos fiquem stressados com a minha presença). Pode ser?
Eu (cortando os pulsos em agonia antecipada): ah, claro. Yuppi, vai ser tão bom.


AGORA
Amiga/o
: estava a pensar ir passar uma semana a tua casa ( mesmo que não estejas lá e que os teus gatos fiquem stressados com a minha presença). Pode ser?
Eu (com incomensurável satisfação): na verdade, não. Prefiro receber quando estou de férias, para ter a certeza de que tudo corre bem e não gosto de stressar os gatos gratuitamente.

Mai nada!

E, embora ainda haja pessoas a quem não basta dizer não uma vez, mas sim duas ou três, para perceberem que não, não estou a gozar, tem sido cada vez mais fácil fazer cada vez mais o que eu realmente quero fazer e menos o que os outros acham que dá jeito que eu faça para lhes facilitar a vida. Pois que não tenho nada contra o facilitar a vida aos outros, desde que a minha não se torne num inferno por causa disso. Cansei-me de ser palerma, peço imensa desculpa.



Agora é só tentar perceber porque é ser honesto causa tanto prurido a tanta gente. Estavam mal habituadinhos, não era? Temos pena.

Banda Sonora: I'm sorry - Brenda Lee

11 comentários:

  1. Ahhhhhhhhh
    Finalmente!!!!! :D

    Eu bem te dizia que é uma sensação de (não não é absorção)...libertação!

    E agora é só não ficares com peso na consciência passadas umas horitas de teres dito que não (não negues pois sei que ficas...) ;)

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. E fazes muito bem! Aliás, se tivesses tomado essa atitude há mais tempo, provavelmente a insistência não seria tanta... :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  3. eu costumo dar-me bem com gatos, mas... ok! vou passar uma semana noutro lado...

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  5. Olá!
    Um não na altura certa, com a entoação certa sabe tão bem....

    Beijocas
    Boa semana

    ResponderEliminar
  6. Eu agora também não deixo de fazer o que gosto ou o que me apetece em detrimento dos outros. Já basta o trabalho.
    beijinhos*

    ResponderEliminar
  7. Bem vinda ao club.
    Eu já faço isso à 2 anos, mesmo se por vezes me custa, pois velhos hábitos são difíceis de perder.

    Tens todo o meu apoio.
    Beijokitas

    ResponderEliminar
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  9. Pronto, pronto, pronto!...e se eu prometer não morder nos gatos?... :DDD

    Podes crer que te percebo, pois tb já aprendi a dizer não. Sim, causa estranheza ao inicio, para quem não estava habituado a ouvir-te dizer não. Mas com o tempo, aperceber-se-ão q, às vezes, temos de ter o nosso direito ao não.

    ResponderEliminar
  10. Dizer "não" é algo que se aprende com o tempo. Eu também em tempos dizia que sim para agradar aos outros, mesmo quando ás vezes ficava prejudicada. Agora desculpem lá qualquer coisinha, mas 1º eu e depois os outros.

    Beijocas

    ResponderEliminar